NOTÍCIAS

07/08/19 | Centro Cultural

Golpes de delicadeza

O programa literário do Minas Tênis Clube, “Letra em Cena. Como ler…”, trouxe  Tarso de Melo, poeta, crítico e editor paulista, para falar sobre o poeta curitibano Paulo Leminski (1944 – 1989). A palestra contou com a leitura de poemas de Leminski feita pela atriz mineira Bruna Kalil Othero. Tarso explicou para o público que Paulo Leminski é uma mistura de rigor e leveza.

“Minha relação com Paulo Leminski nunca foi de um especialista, mas sim de um apaixonado por sua poesia. Acredito que a maior parte das pessoas tem essa relação com ele. De amor por sua poesia simpels”, afirmou Tarso. O palestrante afirma que Leminski tem uma poesia pungente na sua forma simples. “Ele era um pensador selvagem da poesia”, afirma Tarso.

Segundo Tarso, Leminski tinha “basicamente um assunto na vida, fazer poesia. Os textos dele são quase sempre poemas e bebem na mesma forma da poesia”.  Paulo Leminski tinha em sua escrita várias influências. “Ele era uma figura formada como um monge, estudou num mosteiro de São Paulo, aprendeu sobre a cultura oriental e a inseriu em seus textos, além de ter bebido na poesia concreta”, diz o palestrante. “O texto de Leminski não é poesia concreta, não é poesia marginal, não é música popular, é isso tudo e nada disso. É singular”, afirma Tarso.

O escrito de Leminski é urgente e preciso. “O poeta afirmava que o poema tem que ser como um golpe de karatê. Não se sabe como vem, nem de onde. Mas é preciso e tem os movimentos estudados e calculados. A poesia para Leminski deve ser um golpe preciso e eficiente”, conclui Tarso.

A próxima sessão do “Letra em Cena. Como ler…” será dedicado às letras de Lúcio Cardoso, escritor, romancista, poeta, memorialista, dramaturgo, argumentista, roteirista de cinema e pintor mineiro, da cidade de Curvelo. A análise será feita por Jacyntho Lins Brandão, professor da faculdade de Letras da UFMG. No dia 10 de setembro, às 19h, no Café do Centro Cultural Minas Tênis Clube.

Outras Notícias

desenvolvido por